Psoríase

A psoríase é uma doença da pele relativamente freqüente, que afeta de 1 a 3 % da população geral e atinge indistintamente homens e mulheres, sendo mais freqüente na raça branca. Caracteriza-se pelo aparecimento na pele de lesões róseas ou avermelhadas, recobertas de escamas secas e esbranquiçadas.

Muitas vezes, estas lesões estão localizadas apenas nos cotovelos, joelhos ou couro cabeludo. Em outros casos, as lesões podem se espalhar por toda a pele. As unhas podem ser afetadas e, muito raramente, as articulações, causando a artrite psoriásica. A psoríase pode se manifestar logo após o nascimento ou tardiamente no idoso, mas o mais comum é o início entre a 2ª e a 4ª décadas da vida. Pelo simples exame clínico, observando a pele, as unhas e o couro cabeludo do paciente, o dermatologista consegue concluir o diagnóstico. Exames de laboratório geralmente são de pouca utilidade, pois a psoríase é uma doença que não causa manifestações em órgãos internos. Além do “olho clínico”, o único recurso que pode confirmar o diagnóstico de psoríase é a biopsia de pele: é um exame simples, feito em ambulatório ou consultório, sob anestesia local, que ajuda a esclarecer se a lesão (problema) é de psoríase ou não.

As causas exatas da psoríase ainda não estão totalmente esclarecidas. No entanto, todas as pesquisas científicas demonstram que a hereditariedade desempenha um importante papel e, em 30% dos casos, existem antecedentes familiares de psoríase. Além da predisposição genética existem fatores que podem desencadear ou agravar a doença como: estresse emocional, traumas ou irritações da pele, infecções de garganta, baixa umidade do ar e uso de alguns medicamentos.

A psoríase não é contagiosa e, portanto, não há nenhum motivo para os pacientes evitarem o contato físico com outras pessoas.