PSORÍASE: saiba quais são as causas, tratamentos e como identificar a doença precocemente.

capa notícia pelle psoríase-01

PSORÍASE: saiba quais são as causas, tratamentos e como identificar a doença precocemente.

– O que é a psoríase?

            A psoríase é uma doença da pele relativamente frequente, que afeta de 2% a 3% da população geral e atinge tanto homens quanto mulheres. A doença é caracterizada pelo aparecimento de lesões róseas ou avermelhada na pele, recobertas de escamas secas e esbranquiçadas e tem maior ocorrência em pessoas da raça branca. Muitas vezes, estas lesões estão localizadas apenas nos cotovelos, joelhos ou couro cabeludo. Em outros casos, as lesões podem se espalhar por toda a pele. As unhas podem ser afetadas e às vezes o problema chega até as articulações causando a artrite psoriásica.

 

– Como é possível tratá-la?

            O objetivo principal do tratamento é chegar-se a um ponto em que as lesões sejam no mínimo, aceitáveis para cada doente, melhorando a sua qualidade de vida. Existem várias formas de tratamento, desde simples pomadas até medicamentos injetáveis ou banhos de luz (fototerapia com PUVA). Antes de iniciar o tratamento, os pacientes devem ser examinados pelo dermatologista que avaliará as circunstâncias de cada caso e escolherá qual o esquema mais adequado para cada situação. É importante lembrar que de 75% a 80% dos pacientes tem formas leves e moderadas de psoríase, que podem ser controladas apenas com tratamentos locais (pomadas, loções, xampus, géis e sprays à base de corticosteróides, coaltar, antralina, calcipotriol, tazaroteno e piritionato de zinco), desde que bem indicados e usados com supe rvisão médica. Nas formas mais avançadas, utiliza-se com sucesso e sem riscos à saúde a fototerapia-PUVA (método que utiliza-se uma máquina especial com luzes ultra-violetas de ondas longas (UVA), mais uma medicação chamada Psoraleno, em sessões 2 ou 3 vezes por semana), ou medicamentos de uso interno como acitretina, ciclosporina e metotrexato, todos exigindo supervisão médica constante e exames de laboratório seriados para controle de possíveis efeitos colaterais. Em todas as situações é muito importante o uso diário de hidratantes e substâncias que ajudem a manter a pele com menos escamas (óleo mineral, vaselina salicilada, etc).

            Um novo medicamento está trazendo boas esperanças aos portadores de psoríase nas formas disseminadas mais graves ou em associação com a artrite psoriásica. São as chamadas “drogas biológicas”. O uso das drogas biológicas tem apresentado melhoras nos pacientes com desaparecimento das lesões em curtos períodos e manutenção da melhora com seu uso constante. Os medicamentos são aplicados via endovenosa ou sub-cutânea, conforme a substância. As drogas biológicas são agentes biológicos que inibem as substâncias que ativam e agravam a psoríase.

– Quem são as principais vítimas?

            A psoríase pode se manifestar logo após o nascimento ou no idoso, porém o mais comum é o início entre a 2ª e a 4ª década da vida.

 

– Porque ela é desencadeada pela parte emocional?

            O emocional não constitui uma causa da psoríase, porém em quem é portador da doença pode ocorrer um agravamento com o stress que, por outro lado, pode ter origem a partir da própria doença que é estigmatizante socialmente, principalmente quando se localiza em áreas expostas.

– Quando e como é revertida?

            Não se promete cura para a psoríase, porém com os métodos atuais ela pode ser controlada como qualquer outra doença crônica.

– Tem alguma novidade, hoje, na medicina em termos de biológicos ou outros que possam ser usados como preventivos de crises?

            O uso das drogas biológicas, em conjunto com outros medicamentos de uso local como sistêmicos, tem promovido uma melhora importante na qualidade de vida dos pacientes com desaparecimento das lesões em curtos períodos e manutenção dessa melhora com seu controle constante.

 

– Que tipo de transtornos o problema pode causar para a vida de quem sofre com o mal?

            Além do comprometimento articular que ocorre em alguns casos, o que consideramos como maior problema é ela afetar a qualidade de vida dos seus portadores, de uma doença que não contagia e se restringe quase que exclusivamente a pele.

 

– Qual a necessidade de se identificar o problema de forma precoce?

            A possibilidade de um controle melhor e identificação de fatores agravantes que tratados podem minimizar a evolução da doença.

Prof. Dr. João Roberto Antonio

CRM 11.784 – R.Q.E. 239

Professor Emérito de Dermatologia da FAMERP

Chefe do Serviço de Dermatologia do Hospital de Base
“Maestro de la Dermatologia” CILAD-2014