Dermatologia Oncológica

Câncer de Pele

cancer-peleO câncer de pele é o tipo mais comum entre os vários tipos de câncer e está associado à exposição solar na maioria das vezes. O aumento contínuo da incidência de raios ultravioletas faz com que a probabilidade de as pessoas desenvolverem câncer de pele se torne cada vez maior.
As lesões ocorrem devido ao crescimento anormal e descontrolado das células que compõem a pele. São caracterizadas por manchas ou feridas que apresentam crescimento, alteração na cor ou espessura, coceira, dor, escamação ou sangramento, além de dificuldade de cicatrização.

Os tipos de câncer de pele mais frequentes são os carcinomas basocelulares e espinocelulares e predominam em áreas expostas ao sol. O carcinoma basocelular é o mais comum. Surge na forma de nódulos translúcidos, elevados, perolados, e de crescimento lento. Desde que detectado e tratado a tempo, a taxa de cura deste carcinoma é superior a 95%. Já o carcinoma espinocelular é o segundo tipo mais frequente de câncer de pele. Caracteriza-se, geralmente, por uma úlcera (ferida) de difícil cicatrização e representa cerca de 15 a 20% de todos os tipos.
O melanoma é forma mais perigosa da doença, embora menos comum, é responsável por mais de 60% dos casos de morte por câncer de pele, sendo caracterizado por uma lesão pigmentada de crescimento progressivo.
A prevenção do câncer de pele é de fundamental importância para reduzir a incidência das lesões.  Usar protetor solar é imprescindível e ele deve ser reaplicado a cada duas horas e após transpiração excessiva ou contato com a água. Camisetas, chapéus, óculos de sol e guarda-sóis também são artigos indispensáveis na praia ou na piscina.
Estar atento ao próprio corpo é outra medida de prevenção. Mudanças no tamanho, cor ou espessura de sinais, manchas que causem coceira, dor, escamação ou sangramento, e feridas que não cicatrizam há mais de três semanas são bons motivos para se procurar um dermatologista.

Poiquilodermia

PoiquilodermiaA poiquilodermia é caracterizada pelo aumento da pigmentação da pele, aparecimento de pequenas veias superficiais (vermelhidão) e atrofia da pele que acomete predominantemente a região do pescoço, colo e a face de forma simétrica, geralmente poupando a região do queixo e acometendo adultos de meia idade (homens e mulheres).
Ocorre devido à exposição cumulativa ao sol, envelhecimento, alergia de contato e predisposição genética. As lesões são assintomáticas, embora alguns pacientes relatem coceira e queimação leve, porém o maior impacto da poiquilodermia é na qualidade de vida dos pacientes pois atua de forma negativa na aparência, principalmente de pacientes femininas.
O tratamento da poiquilodermia é realizado com luz intensa pulsada (LIP) e lasers fracionados(fraxel e thulium) que atuam  destruindo os vasos superficiais, melhorando a cor da pele e estimulando o colágeno da pele. Porém, é fundamental o uso de protetores solares na região de rosto, pescoço e colo, além de evitar exposição solar nos períodos mais ensolarados para contribuir com o tratamento e prevenir o surgimento de novas lesões.

Rosácea

rosasceaA rosácea é uma doença inflamatória crônica da pele associada à alteração da resposta dos vasos da face caracterizando-se por vermelhidão nos estágios iniciais e evoluindo para formação de lesões inflamatórias semelhante a lesões de acne, porém predominante em adultos.
Diversos fatores estão envolvidos no surgimento da rosácea, entre eles: predisposição genética, alterações emocionais, hormonais, mudanças bruscas de temperatura, alterações normais da flora bacteriana normal, exposição solar, uso de bebidas alcoólicas, medicamentos vasodilatadores ou fotossensibilizantes, ingestão de alimentos muito quentes.
O tratamento da rosácea varia de acordo com suas características, podendo ser local, sistêmico com uso de medicamentos orais, com lasers fracionados(melhor opção) ou cirúrgico através da aplicação de laser(no caso de rinofimas). O uso do laser em rosácea visa a destruição dos vasos sanguíneos dilatados e redução da inflamação, as melhores opções de laserterapia para rosácea são a Luz Intensa Pulsada (LIP) e laser fracionado não ablativo (Erbium Glass ou Nd YAP). Além disso, é de fundamental importância evitar os fatores desencadeantes ou agravantes tais como alimentos quentes, bebida alcoólica, café, chá, sol, vento, frio, entre outros.

No Posts Found in Category 103